Amazon promoverá uma ruptura nos serviços financeiros e nos de gerenciamento de patrimônio em sequência

Há muito tempo falo sobre como a Amazon mudará os serviços financeiros e bancários. Quando acontecer e como eles usarem a Inteligência Artificial para ajudar os clientes a gerenciar os seus patrimônios será uma chave diferencial para essa mudança.

O Google provavelmente tem mais potencial para promover uma ruptura no mercado da saúde com a Inteligência Artificial do que a Amazon neste momento. Mas esse não é o caso dos serviços financeiros. A parceria da Amazon com o JP Morgan Chase nas contas-correntes aponta para essa probabilidade; É apenas uma questão de tempo até que a Amazon faça uma mudança séria para os serviços financeiros. A nuvem, e-commerce, itens de supermercado, gadgets, a interface de voz com IA — ótimo! — mas a Amazon deveria ir atrás da sua própria Wall Street.

Isto é, simplesmente, a Amazon tem mais insights sobre como a IA pode ajudar a personalizar o que os consumidores realmente querem comprar. Esse tipo de big data tem aplicativos no setor bancário, gerenciamento de ativos, imóveis e assim por diante. Uma plataforma Cloud-Commerce-AI como a Amazon pode sonhar grande no mundo real. Mesmo que sua presença em publicidade e inteligência artificial aumente de maneira bastante orgânica, simplesmente como uma extensão do que ela faz.

Analistas e Wall Street gostam de profetizar sobre o que a Amazon fará em seguida. Ah, é a indústria farmacêutica, não, é a indústria de viagens, não, é x, y e z. A Amazon é aquela empresa que invariavelmente engolirá a Netflix, o Facebook e provavelmente o Walmart também. Se isso parece loucura em 2018, volte a verificar este artigo em apenas cinco anos, em 2023.

Os executivos financeiros devem estar loucos se acham que a Amazon não chegará um dia neles. Agora, se você investiu US$ 1.000 em uma empresa em 2007, adivinhe quanto você ganhou em 2017?

Se as cinco ações tecnológicas mais populares e de melhor desempenho são disruptivas, nem todas sobreviverão. Parece que Amazon e Alphabet são as únicas apostas certa. Estou falando de décadas à frente aqui.

Amazon em Investimento e gestão de ativos?

A empresa de pesquisa Bernstein analisou se faria sentido para a Amazon adicionar gerenciamento de patrimônio ao seu conjunto de serviços. A resposta curta é sim: “Achamos que a Amazon está bem posicionada para mudar a indústria e, dada a lucratividade do setor, pode muito bem ter a intenção de fazê-lo”, escreveu Edward Houghton em um relatório de pesquisa nesta semana (Quartz).

O pivô da Amazon na gestão de fortunas é quase inevitável. Por que o Amazon Prime não ofereceria opções de gerenciamento bancário e de riqueza em breve? No caminho para a Amazon se tornar um gigante da biotecnologia e da indústria farmacêutica, o dinheiro é o caminho para a supremacia. E se a sua IA soubesse tudo sobre o dinheiro das pessoas? Você já sabe o que eles gostam de gastar, agora por que não automatizar IA para ajudá-los a gerenciá-lo bem?

Wall Street está otimista com a Amazon, porque no fundo eles sabem que a Amazon irá substituí-los. A empresa tem procurado maneiras de entrar nos serviços financeiros para continuar seu ímpeto de crescimento. Gestão da riqueza está indo no caminho da IA, assim como a Amazon.

  • Gestores de riqueza e consultores serão substituídos;
  • Eles já estão sob uma tremenda pressão devido à rápida evolução da IA ​​e de ferramentas como aprendizado de máquina;
  • A Amazon tem mais a ganhar ao mudar o cenário, fruto de baixa qualidade para Bezos, se eu mesmo disser isso.

A Amazon é a futura Babilônia do tesouros dos dados

Business Insider Intelligence estima que 10% de todos os ativos globais, ou US$ 8 trilhões, serão gerenciados por robôs até 2020, significativamente acima dos US$ 200 bilhões em 2016. A Amazon tem a melhor chance do que qualquer empresa global fora da China de ter dados de 360 ​​graus de seus consumidores. Juntando esses dados com os dados de varejo, financeiros e de saúde significa que a Amazon pode ser a A-Z do pós-capitalismo.

A Amazon é uma plataforma suméria de dados de IA e de clientes, ideal para mudar o gerenciamento de riqueza, investimentos, serviços bancários e financeiros como um todo.

A assistente digital da Amazon, Alexa, tem a capacidade de responder a questões econômicas, graças a uma parceria com o UBS Wealth Management.

Meus amigos, isso é só o começo.

Sabemos que sua parceria com o JP Morgan significa essencialmente que uma conta corrente de marca (Prime) ajudaria a fornecer benefícios adicionais aos membros do Prime, persuadindo-os a comprar mais na plataforma de comércio eletrônico da Amazon. Os aplicativos da Amazon superarão o Facebook simplesmente porque são mais úteis, convenientes e pragmáticos.

De acordo com o Relatório de Aplicativos para Dispositivos Móveis da comScore 2017, o App da Amazon é o mais popular entre os participantes da Geração Z & Millennials (com idade entre 18 e 34 anos) em comparação com a preferência pelo do Gmail ou do Facebook.

A Amazon está quase perfeitamente posicionada agora para mudar o mundo dos investimentos, o gerenciamento de ativos e, finalmente, os serviços financeiros como um todo, substituindo pessoas com inteligência artificial.

Artigo original de Michael K. Spencerhttps://medium.com/@Michael_Spencer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *